Pular para o conteúdo principal
ícones de estilo e influenciadoressegunda-feira, 4 de janeiro de 2021

A modelo Twiggy e a revolução dos anos 60

Pense em moda nos anos 60 e a imagem marcante da modelo Twiggy certamente virá à mente. Nascida no norte de Londres, Lesley Hornby tinha 16 anos quando se tornou “o rosto de 66” graças a um estilo composto por longos cílios postiços e um corte de cabelo curtinho que logo se tornou hit. Some a isso a silhueta com ares de menina – quase sempre com saias de comprimentos mini e sapatos de salto baixo – que conquistou a juventude inglesa da época, ajudando a moldar um autêntico estilo londrino.


Espírito de seu tempo


Assim como Cindy Crawford nos anos 80, Kate Moss nos anos 90 e Cara Delevingne nos anos 2000, Twiggy ia muito além de um rosto bonito. São faces que representam as aspirações e os ideais de suas respectivas gerações, captando o estado de espírito de seu tempo. 

 

A maquiagem Twiggy se tornou um dos fortes símbolos da sua influência: eram várias camadas de cílios na pálpebra superior e desenhos feitos com lápis na parte de baixo, representando tanto a força feminina quando a ingenuidade daqueles tempos.

 

Como escreveu Jess Cartner-Morley em uma reportagem especial sobre o tema no jornal inglês The Guardian, “Supermodelos refletem atitudes antes mesmo de sabermos que elas sequer existem”. Poucas definições se encaixam tão bem ao estilo pin up representado por Twiggy.

Jovem terremoto


A modelo personificou a geração chamada de youthquake – em uma menção à agitação causada pelos jovens – e trouxe com ela todo um universo de referências que ia do frescor feminista das minissaias ao despojamento das meias coloridas, tudo ao som de Beatles e Rolling Stones. “Kate Moss tinha o mesmo que Twiggy nos anos 60: um frescor que combinava com a época”, comparou Phil Bicker, ex-diretor de arte da revista The Face. 

 

Em meados dos anos 60, as regras da moda e do comportamento eram quebradas pelos homens e mulheres que davam as cartas nesse meio. A modelo Twiggy e seu empresário Justin de Villeneuve não ficaram de fora. Parte integrante do cenário badalado de Londres naquela época, se tornaram o casal mais in do momento, estampando capas de revistas de entretenimento como a London Life. 

Boys and girls


A aparência andrógina de Twiggy fazia o contraponto perfeito para a alfaiataria unissex que ia ganhando cada vez mais espaço naquela década. Assim, a modelo lançou tendências atemporais que influenciam a moda até hoje, unindo um visual boyish e girlie, ousado e minimalista, tudo junto e misturado. 

 

Uma rápida pesquisa na internet revela fotos de Twiggy usando um look com tricot que é um verdadeiro clássico. Outra pesquisa e será possível ver a top usando gravatas, camisas de botão, chapéus masculinos e sapatos tipo loafer.

Pernas à mostra


Twiggy trabalhou diretamente com a estilista Mary Quant, parceria que rendeu a explosão da minissaia como forma de expressão de rebeldia e feminilidade. A modelo também não abria mão de vestidos curtinhos que deixavam suas longas pernas à mostra. O vestido trapézio era um de seus favoritos, em cores como rosa, verde e tons pastel.

 

A modelo Twiggy continua sendo um nome importante na cena atual. Ela estrelou campanhas da loja britânica Marks & Spencer,  lançou uma linha de roupas chamada Twiggy London e até mesmo um álbum pop, Romantically Yours.

 

Seu legado também vem sendo levado adiante por uma nova geração de tops formada por nomes como Cara Delevingne, Jourdan Dunn e Karlie Kloss, que lançam mão das redes sociais para popularizar cada vez mais um estilo de vida livre e um look casual – em sintonia total com o século 21.

(11) 3230-4141



chat online