Carregando...

Carregando...

Carregando...

Selecione uma opção

Por favor selecione um Sexo para comprar!

Bem-vindo(a) à Farfetch, faça login ou cadastre-se
Tendências & Subculturas

sexta-feira, 3 de março de 2017

Lições da alta-costura

Não é exagero comparar peças de alta-costura a obras de arte. Confeccionadas cuidadosamente por dezenas de mãos habilidosas durante horas, dias e até mesmo semanas, as criações de haute couture não somente demonstram as habilidades técnicas e criativas dos grandes estilistas como apontam as novas tendências mundiais.


Em poucos minutos, o trabalho realizado durante 6 meses é apresentado nos desfiles dos principais ateliers de costura francesa, adiantando quais serão as peças-chave que estamparão as publicações mais influentes do mundo, assim como os tapetes vermelhos e as adaptações para o street style.


“É sempre emocionante para mim ver roupas feitas à mão, que abordam a moda como algo especial. O mix do artesanal com o high tech permite as mais belas misturas de materiais, criando peças realmente únicas. Moda não é fazer roupas novas, é realizar sonhos”, declarou Anna Wintour ao final da semana de alta-costura em Paris. 

 

Confira algumas das tendências que nascem da alta costura:

 

haute couture

Gola alta

Ícone dos anos 60, a gola rolê foi eleita o curinga da vez pelas it-girls e também marcou presença nas coleções. Além de investir em mangas volumosas, Giambattista Valli foi um dos que apostaram na gola alta em seu outono-inverno apresentado em Paris.


O estilista italiano imaginou um guarda-roupa atualizado para Josefina Bonaparte, imperatriz francesa e mulher de Napoleão, o que resultou em vestidos de abotoamento até o pescoço, além de pernas de fora e muitos babados, outro hit da temporada.

 

No dia a dia, a modelagem com perfume vitoriano é frequentemente desfilada por Alexa Chung pelos quatro cantos do planeta, conferindo um upgrade ao jeans com casacos oversized, complementando uma saia mídi ou sobrepondo um slip dress. Para enfatizar o pescoço ainda mais, vale arrematar a gola alta com uma gargantilha fininha, como visto no desfile da Valentino em Roma.

 

Capa 


A temporada outono-inverno também trouxe elementos com clima de conto de fadas – o que não é raro nas coleções superexclusivas.


Sob a tutela de Karl Lagerfeld, capas usadas sobre vestidos e casacos acinturados foram o foco do desfile especial que comemorou os 90 anos da Fendi, com destaque para um cuidadoso trabalho de bordado.


Com silhuetas alongadas e volumes concentrados na parte superior do corpo, a Armani Privé também abordou capas amarradas com laços no pescoço, no melhor estilo fairy tale. Para um look que vai da passarela para as ruas com naturalidade, a grife apostou em uma base minimalista, com calças sequinhas e sapatilhas práticas.


Superdecotes


A construção de decotes é um elemento essencial em qualquer coleção de alta-costura, e os vestidos com decotes profundos fizeram frente à gola alta em 2016. Uma das grifes a apostar na tendência foi a Valentino, a eleita de Olivia Wilde na última cerimônia do Oscar.


Para a ocasião, a atriz norte-americana escolheu um modelo branco aparentemente simples, que destacou o decote arquitetônico e a saia com plissados delicados. Olivia arrematou a produção com outra trend do momento: uma poderosa gargantilha choker


Decotes profundos são protagonistas por excelência, por isso não precisam de muitos complementos. Alternativa sexy para um look de festa, eles ganham um ar high fashion quando acompanhados por blazers de alfaiataria. Em produções mais casuais, um superdecote também pode sofisticar um jeans e um maxi cardigã.


Aumente o volume!


Os looks do red carpet costumam render tanto assunto quanto os próprios filmes indicados ao Oscar, além de confirmar quais aspectos do couture se transformarão em objeto de desejo do grande público. Na 88ª edição da premiação, realizada em fevereiro de 2016, o volume nos ombros dividiu os holofotes com as fendas e os brilhos habituais.


Entre os vestidos alta-costura desfilados na celebração em Los Angeles, um dos modelos mais elogiados pela imprensa especializada foi o escolhido pela atriz Cate Blanchett, assinado pelo atelier Armani Privé.


Veterana nos tapetes vermelhos, Cate optou pela neutralidade do verde água. O destaque ficou por conta das flores bordadas manualmente em toda a extensão da peça e o elegante volume nos ombros, que garantiu o glamour atemporal exigido pelo evento.


Confirmando a tendência, Elie Saab apostou nas ombreiras e a Saint Laurent criou ombros extremos em vestidos e casacos com uma forte vibração anos 80.


Se a moda alta-costura foi buscar inspiração no passado, o street style foi rápido em fazer uma revisão das tendências para a realidade dos tempos modernos. Espere muita padronagem quadriculada, sapatilhas cobertas por glitter (como as da Aquazzurae botas com salto baixo e cano na altura dos tornozelos para modernizar o clássico.

vestido alta costura