Carregando...

Carregando...

Carregando...

Selecione uma opção

Por favor selecione um Sexo para comprar!

Bem-vindo(a) à Farfetch, faça login ou cadastre-se
 

A edição de número 43 do São Paulo Fashion Week aconteceu entre os dias 13 e 17 de março. E você sabe o que uma nova temporada significa: hora de focar em renovar o closet, com o melhor visto nas passarelas. Elegemos os nossos desfiles favoritos e as tendências que irão do ‘See Now, Buy Now’ direto para sua wishlist...

Por Beatriz Falcão, fotos Agência Fotosite

COMPRE

 

À LA GARÇONNE

Alexandre Herchcovitch e Fábio Souza apresentaram com distinção a terceira coleção da marca. Trilha sonora intensa, casting eclético e uma série de parcerias com marcas de bolsas, tênis, lingeries e acessórios desenvolvidos especialmente para o desfile. A variedade que a dupla trouxe à passarela foi vista também nas roupas, que uniram o universo vintage ao street. Afinal, a À La Garçonne é formada por Herchcovitch, estilista com mais de 20 anos de carreira e famoso por suas referências undergrounds, ao lado de Fábio Souza, pesquisador e dealer de peças antiques, que contribuiu na construção da marca e nas estampas de corda e pinturas à mão.

COMPRE

 

AMAPÔ

O forte da Amapô é o jeanswear. No início, o material era visto em modelagem justa e aspecto bruto, mas não parou por aí. A marca se renovou e trouxe a irreverência com o tema Circo. Na passarela, peças volumosas, geométricas e com recortes foram vistas e dessa vez, o jeans saiu do cru e apareceu com diferentes lavagens e modelagem ampla. O casting também incluiu crianças, que ao lado do restante dos modelos, representaram figuras do cenário circense, como mágicos, trapezistas, malabarista e palhaços, numa grande e bem-humorada corda bamba.

COMPRE

 

 

GIG

A grife mineira famosa por seu trabalho no tricô e por elaborar peças nada óbvias no material, trouxe uma ótima coleção com base em texturas e brilhos. O destaque não ficou apenas nos plissados e babados, marca registrada da Gig, como também para a maestria de uma apresentação entrelaçada: os looks desfilados eram harmônicos entre si e também com muita personalidade nos moletons metalizados, vestidos midi e calças esportivas - e sim, tudo em tricô. Já para a wishlist! 

COMPRE

 

GIULIANA ROMANNO

Como criar uma coleção ultrafeminina com componentes masculinos? A resposta está na coleção de inverno 17 de Giuliana Romanno. Sempre impecável, a alfaiataria da estilista trouxe parka, smoking e camisas numa paleta de cores composta por branco, preto, nude, listras, estampa de gravataria e muita, muita textura. Silhuetas amplas com quê boyish que poderiam ser agressivas, preservaram o corpo da mulher com decotes em V e comprimentos midi. O sofisticado jogo de esconde e mostra ficou por conta das transparências e cintura marcada.

COMPRE

 

LILLY SARTI

Duas décadas serviram de inspiração na passarela de Lilly Sarti. Dos anos 80, tons terrosos, metalizados, cintilância e brilho. Nas peças, foco nos ombros e na cintura. Corta para os anos 90: vestidos e saias mídi brincavam com os diferentes pesos de tecidos – e esses traziam transparência e leveza. Nos acessórios da coleção, a geometria marcou presença nas bolsas tiracolo (desejo imediato) e nos brincos mismatched.

COMPRE

 

PAT BO

A marca de Patricia Bonaldi é conhecida por suas peças bordadas. De espírito refinado e apurado, caiu no gosto das fashionistas e para essa edição do São Paulo Fashion Week, o estilo urbano foi seu tema principal. Também incluiu referências ao hip hop e sportswear em parkas, moletons e shapes soltos, tudo numa explosão de cores. Com energia vibrante, logo após o término do desfile, as melhores peças já estavam disponíveis na Farfetch. Puro See Now, Wish Now, Buy Now!

COMPRE

 

UMA

Fora da Fundação Bienal de São Paulo, Raquel Davidowicz levou seu público à Pinacoteca de São Paulo. Diante dos característicos tijolinhos, pé direito altíssimo e luz natural do museu, a cartela de cores foi apresentada em cores clássicas: preto, vermelho, branco, amarelo e cinza. Roupas fáceis, shapes descontraídos, volume, leveza, é isso que a mulher da UMA procura. A trilha sonora merece destaque: o espaço não permite som e por isso os saltos e caminhar ritmado das modelos ao lado do clique dos obturadores das câmeras dos fotógrafos moldaram a experiência.

COMPRE

 

CURTIU ESSA MATÉRIA?

Leia nossa entrevista com o designer da Philosophy di Lorenzo  aqui conheça quatro estilistas mulheres que merecem destaque na moda aqui.