Carregando...

Carregando...

Carregando...

Selecione uma opção

Por favor selecione um Sexo para comprar!

Bem-vindo(a) à Farfetch, faça login ou cadastre-se

Garoto carioca, suingue sangue bom

O jornalista carioca Hermés Galvão nos entrega seu roteiro para lá de off

 

Nascido no rio e carioca da gema, o jornalista, colunista da Vogue Brasil e escritor do ultra bem-humorado “Como viajar sozinho em tempos de crise financeira e existencial”, Hermés Galvão nos relata seus locais favoritos no Rio de Janeiro, daqueles que somente os mais insiders da cidade conhecem

Por Olivia Hanssen, fotos Lucas Bori

Segundo o jornalista que tem mais de 72 carimbos em seu passaporte, a melhor parte de voltar para sua cidade natal é saber que nada mudou. Sua principal dica para quem vai ao Rio é “fugir de toda e qualquer aglomeração, bar com cartela de consumação e da praia do Leblon. De resto, vale tudo”. A seguir, uma lista de seus lugares favoritos para conseguir do descanso e sossego ao agito e animação.

Cachoeira Primatas

Sombra e água fresca quando as praias estão lotadas e sol um maçarico.

Bar Caranguejo, em Copacabana

Casquinhas e pastel de siri com cerveja gelada sem sotaque nas mesas.

 

Bairro Santa Genoveva

Uma vila supercharmosa no Bairro de São Cristovão, com igrejinha no alto do morro com vista para a zona norte da cidade. Na volta, comer antipasto na Casa do Sardo, o melhor italiano do Rio.

 

Museu Bispo do Rosário

O artista brasileiro mais vanguarda de todos os tempos. O cara misturava pop arte e arte povera sem a menor influência do mundo externo.

Subida da Pedra da Gávea

Para ver as inscrições fenícias nas rochas. Sim, eles estiveram entre nós, e a pedra, eu acredito, foi esculpida por eles para tornar-se uma esfinge. Google it, povo! E nada de Instagram no cume!

 

Bar de reggae maranhense dentro da Feira de São Cristóvão

O lugar é horrível, a frequência é surreal, o que torna tudo muito mais instigante. Dezenas de caixas de som foram emparelhadas em frente ao palco, o que torna a viagem musical um transe jamaico-amazônico.

PERGUNTAS RÁPIDAS

Você acaba de lançar um livro dando dicas de como viajar sozinho em tempos de crise. Qual a sua principal dica para quem viaja sozinho para o Rio?
Fugir de toda e qualquer aglomeração, bar com cartela de consumação e da praia do Leblon. De resto, vale tudo. O Rio é uma festa, por pior que ela possa ser ou parecer, mas depois da terceira caipirinha todo o inferno vira céu.

Após voltar de viagem, o que você mais gosta quando chega no Rio? E o que você não gosta?
De certa maneira, gosto de saber que nada mudou. E que meus lugares favoritos onde encontro silêncio e sossego ainda estão lá, quase intocados e longe da vista dos forasteiros (quem nasceu em cidade turística sabe a dificuldade que é viver em tempos de paz). Não gosto da decadência galopante, do retrocesso, de ver endereços tradicionais fechando suas portas e da passividade do carioca perante a tudo e qualquer coisa de ordem cívica.

Como você acha que as Olimpíadas estão afetando a cidade?
Acho que o comitê mirou em Barcelona, mas acertou em Atenas. Tenho a certeza que não haverá legado - a Praça Mauá e a zona portuária, mesmo revitalizadas, são um pequeno parêntese perto de tudo que deveria ser feito. As escolas, que já não podem ser chamadas como tal, não formaram atletas, as águas do mar e da baía seguem imundas, as ruas e os transportes públicos entraram em colapso, a violência é galopante. Construíram um castelo de areia para os jogos e ele desmoronou antes de acenderem a pira olímpica.

O Rio de Janeiro é considerado uma cidade superfitness. Qual o esporte que você acha mais a cara da cidade?
Surfe e musculação nas "academias" públicas - a da Praia do Diabo, que chamamos de Flinstones (os equipamentos foram feitos de concreto e outros materiais de obra de pedreiro), é o belo retrato do carioca que não precisa de personal e equipamentos de última geração ou o esporte da moda para ficar em forma. Ao mesmo tempo, o Rio é a cidade com o maior percentual de população obesa do país - nada mais carioca que viver nos extremos.

Descreva um look tipicamente carioca para elas e eles.
Elas: dois tamanhos abaixo, cabelo cada vez mais longo e saia cada vez mais curta.

Eles: dois tamanhos acima, e parece que a namorada ou a mãe compraram a roupa pra eles.

Qual é o look ideal para usar no Rio?
Qualquer coisa de algodão e de cores claras. Não precisa elaborar, basta coordenar e não aparecer pelo que veste.

 

MAISON MICHEL

'Blanche' hat

Compre Agora
DOLCE & GABBANA

Vestido estampado

Compre Agora
DIOR EYEWEAR

Óculos de sol 'Dior Split'

Compre Agora
AQUAZZURA

Espadrille modelo 'Pocahontas'

Compre Agora

 

 
País da entrega Seu pedido será enviado para Brasil e o seu endereço de cobrança é BRL R$ .
An error occurred while fetching the countries or regions

Aguarde

Nossa Política de Cookie

Aguarde

An error occurred while fetching the content