Carregando...

Carregando...

Carregando...

Selecione uma opção

Por favor selecione um Sexo para comprar!

Bem-vindo(a) à Farfetch, faça login ou cadastre-se
 

 

A estrela de Stella McCartney nunca parou de brilhar. Nós conversamos com ela sobre sustentabilidade, seda de aranha e a importância de ter coragem sobre suas convicções

 

Por Jessica Aureli, fotos Camilla Armbrust, styling Chrissi Smith, tradução Bruna Cussiol e Lais Abreu

 

Compre

 

A persistência não é um traço incomum para se encontrar em uma designer, mas Stella McCartney leva esse ideal a um novo patamar. Durante anos, sua voz era a única na moda de luxo que lutava pela importância da produção ética e fontes sustentáveis. Mas ela não se deixou abalar, mesmo diante da possibilidade de seu modelo de negócio nunca dar certo.

Nos dias de hoje, sua preocupação com a persistência parece ter valido a pena. Enquanto a moda está finalmente aderindo a essa ideia, Stella se mantém acima da curva, sempre inovando e se desafiando - assim como a indústria - para encontrar melhores alternativas. Nós nos encontramos com ela para falar sobre a seda sintética de aranha, sua teoria sobre a cenoura orgânica e por que ela quer que as mulheres sejam notadas antes de seus looks.

 

 

Casaco, vestido, camisa e botas todos Stella McCartney.

 

Você disse que quer que suas roupas sejam “perfeitamente construídas no melhor tecido, porque eu quero que elas durem não apenas sua geração, mas também a geração de sua filha e de sua neta.” Por que isso é importante?
Stella McCartney: “Primeiramente e acima de tudo, eu sou uma estilista e meu trabalho é criar peças belas, luxuosas e desejáveis de alta qualidade e duração. A sustentabilidade é importante para nós, então como marca, nós demos um passo à frente ao abraçarmos novos modelos de negócio que transformarão a maneira como as roupas são produzidas, vendidas, compartilhadas, restauradas e reutilizadas. Uma das ações mais importantes para a redução do impacto ambiental é pensar em produtos que são criados para durar e promover o uso estendido das roupas na totalidade de seus ciclos de vida. Isso permite que haja uma desaceleração na quantidade de recursos naturais cultivados e extraídos atualmente do planeta pelo bem da moda, que é a chave do nosso comprometimento em nos tornarmos parte de uma economia mais circular.”

 

Vestido, colete (no video), bolsa e sapato todos Stella McCartney

 

“Eu quero que as minhas criações permitam que as mulheres se sintam fortes, femininas [e] sexy”

 

Qual o papel de suas peças na vida da mulher Stella?
"Eu gosto de criar coisas que façam com que as mulheres sejam elas mesmas, ao mesmo tempo, oferecendo algo que elas não pensariam ou que elas não arriscariam usar. Quero que minhas criações permitam que as mulheres se sintam fortes, femininas [e] sexy; e não que as pessoas as notem apenas por seus looks, mas pelas mulheres neles.”

Muitos devem ter pensado que você estava louca quando começou essa jornada sustentável. Você se sente respaldada por ter coragem em suas convicções?
“É a maneira como eu fui criada. Ter respeito pelos meus semelhantes e estar atenta à proximidade destes à vida é algo que está enraizado em mim, então foi fácil aderir a essa filosofia nos negócios.”

 

 

 

Macacão, bolero e tênis todos Stella McCartney

 

“Quando comecei meio que zombavam de mim. Eu ouvi de pessoas com quem eu trabalhei e admirava muito que nunca teria uma marca!”

 

Qual era a atitude da indústria a respeito da sustentabilidade quando você começou?
‘Quando comecei meio que zombavam de mim. Eu ouvi de pessoas com quem eu trabalhei e admirava muito que nunca teria uma marca! Me surpreende, de uma forma estimulante e encorajadora, que eu possa falar dessas coisas agora e que as pessoas estejam mais interessadas. Elas querem mais informações e querem ser mais conscientes sobre como consomem.’

 

 

Jaqueta, camisa e jeans todos Stella McCartney

 

Você consegue imaginar o resto da indústria aderindo ao seu ideal?

‘Infelizmente, eu sinto que a moda não está indo nessa direção, e nas poucas vezes em que vai, não é pelos motivos certos. É um processo lento, mas pelo bem de nosso planeta é imperativo que todas as áreas de negócio se tornem mais sustentáveis e responsáveis. A moda não deveria estar isenta disso. É uma das indústrias mais prejudiciais do mundo e nós deveríamos ser responsabilizados. Por ter um negócio de sucesso que desenvolveu um tipo de viscose sustentável e colaborou com empresas como a Parley for the Oceans e a Bolt Threads, espero ser um exemplo para os meus colegas na indústria da moda de que não é preciso comprometer o design, o luxo ou a qualidade para ser sustentável. ’

 

Jaqueta, calça, bota e bolsa todas Stella McCartney

 

Qual o maior desafio ao trabalhar com materiais sustentáveis?
Nós trabalhamos muito para tentar encontrar um equilíbrio entre o que precisamos para continuar crescendo como um negócio, sem criar restrições para o time de design, o que quebraria o processo criativo. Ainda somos preocupados com o design e nossa prioridade é a qualidade do produto. Queremos provar que moda sustentável não precisa ser algo diferente, ela pode ser tão bonita, luxuosa e fascinante quanto qualquer outra coisa.’

Quais avanços deixam você mais entusiasmada?
'Recentemente anunciamos uma parceria com a Bolt Threads [uma start-up californiana de biotecnologia que desenvolveu uma seda de aranha completamente sintética] que me deixa muito animada, tanto pessoal como profissionalmente, pois sinto que uma ponte está enfim sendo construída entre moda, sustentabilidade e inovação tecnológica. Percorri um longo caminho durante minha carreira por isso e agora há, finalmente, uma nova oportunidade para as indústrias se unirem e trabalharem como uma por um planeta melhor. É uma abordagem muito moderna e consciente da moda.'

 

 

 

Compre a coleção outono-inverno 2017

 

 

Curtiu essa matéria?